One Night in Miami (Uma noite em Miami) – Crítica

One Night In Miami da renomada atriz, e agora diretora, Regina King fez uma parceria com a Amazon para produzir esse longa histórico, contando a história dos principais ativistas negros dos anos 60. Mas será que mesmo com um elenco recheado de atores poderosos vai render algum prêmio nas próximas premiações? Será que o filme vale ser reverenciado pela academia? Vamos descobrir

One Night In Miami acompanha uma noite de confraternização para celebrar a vitória de uma importante luta de boxe de Cassius Marcellus Clay Jr. (cujo nome religioso é Muhammad Ali). Junto com seus amigos: Malcolm X, Jim Brown e Sam Cooke passam a noite inteira em um quarto de hotel discutindo a importância da luta negra nos anos 60 e também é claro, se conhecendo melhor.

Regina King como diretora se mostra muito eficiente construindo um drama complexo com apenas uma locação. Praticamente todo o filme se passa dentro de um quarto de hotel com os quatro personagens, desenvolvendo cada um com apenas o diálogo. Há vários closes na cara dos personagens, expondo a reação deles após uma discussão ou uma briga. King também consegue criar climas tensos e de fácil explosão dos personagens, principalmente as cenas envolvendo o cantor Sam Cooke – interpretado pelo Leslie Odom, Jr. – que, a princípio se mostra o mais explosivo, e ao longo do filme descobrimos que esse não é o adjetivo correto aplicado a ele. Aliás, como acabei de falar do Leslie, devo mencionar a atuação incrível desta. Mesmo sendo uma representação de um cantor do mundo real, isso não o deixa preso em demonstrar uma fidelidade sobre a vida, os trejeitos ou até mesmo sobre as emoções do mesmo, mostrando assim que, mais do que fidelidade, o importante também é saber encaixar tudo que o rodeia dentro da narrativa.

Também me impressiona, a atuação do Kingsley Ben-Adir (Malcolm X), que além de representar o lado mais extremista da luta negra, também é antagônico em relação ao Sam Cooke – que se mostra uma pessoa que não milita do mesmo jeito intenso de Malcolm. Como dito antes, esse contraste é muito bom para o desenvolvimento do arco dramático do quarteto.

O roteiro, baseado em uma peça teatral, se entrega que é uma adaptação vinda do teatro por seus diálogos bem pontuais e pausados. Isso pra mim mostra uma certa dificuldade do roteirista em adaptar de uma forma mais natural o formato de peça para o formato de roteiro audiovisual. Isso não me incomoda, porém é um erro. Tirando esse deslize – pequeno, na minha opinião – todo o resto envolvendo o tema da luta negra é bem abordado e não deixa faltar nada de relevante, desde a importância das vozes negras da década de 60, até o racismo escancarado por parte dos brancos.

Outro ponto que me fez gostar ainda mais do filme, foi trazer 4 personalidades muito conhecidas pela luta negra que pensavam diferentes entre si, trazendo uma diversidade de olhares a discussão e diferentes reações.

Saindo um pouco do filme em si, acho que vale a pena comentar um pouco sobre a campanha da Amazon com esse filme para a temporada de premiações. A empresa tentará concorrer nas categorias principais (melhor filme, melhor ator, melhor roteiro adaptado e melhor ator coadjuvante), e também a categoria de melhor canção original com “Speak Now” (cantada por Leslie Odom, Jr.) e possivelmente deve conseguir uma indicação em cada uma delas – talvez fique de fora de ator coadjuvante. Mas o que importa é ver como a Amazon melhorou sua estratégia em comparação com a temporada passada.

Sendo assim, One Night In Miami é um filme bem gostoso de se assistir para se emocionar e conhecer uma pequena parte sobre esses astros e importantes ícones da luta negra, (além de escutar ótimas músicas ao longo do filme). Além de cumprir com sua proposta de apresentar essas personalidades para as novas gerações e homenagear os mesmos.

Esse texto também se encontra no site do “O Cinema é”


Sobre Gabriel Zanon

Gabriel Zanon (18) é crítico cinematográfico que escreve e realiza trabalhos relacionados a cinema para vários veículos, inclusive seu canal no youtube. Cursando produção audiovisual, Zanon faz críticas de diversos filmes e agora, na temporada de premiações age com um foco ainda maior sobre os filmes indicados.

Contato: gabrielandrezanon2103@gmail.com Instagram: ga_zanon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s